Fazer Login

Your search results

Quarto Montessoriano: entenda o método e aprenda a decorar o ambiente

Postado por 7cantos on 24/08/2017
| 0

Você já ouviu falar no método Montessori? “É um modelo educacional caracterizado pela ênfase na independência, liberdade com limites e respeito pelo desenvolvimento natural das habilidades físicas, sociais e psicológicas da criança.”

O método criado pela médica e educadora italiana Maria Montessori tem saído das salas de aula e vem se expandindo para o lar. O destaque é para o quarto montessoriano (quartos sensoriais), porque muitos pais estão tomando conhecimento sobre os benefícios para a primeira infância, pois trata-se de um ambiente rico e estimulante onde a criança torna-se capaz de aprender sozinha por meio de suas próprias experiências, desenvolvendo-se de forma espontânea, criativa e saudável! Um quarto para crianças deve ser pensado para crianças, não é verdade?

Parece óbvio, mas na hora da prática, é comum que o adulto pense no mundo de acordo com a sua perspectiva e deixe de levar as necessidades da criança em consideração no projeto. Para Montessori o quarto dos pequenos deve ser estruturado de acordo com a ótica da criança e não do adulto, de forma que ela circule livremente explorando as coisas que estão ao seu alcance. O ambiente deve ser pensado de forma minimalista e funcional, composto de poucos móveis proporcionando harmonia, aconchego, tranquilidade e principalmente segurança. Tudo pensado com carinho para que o quarto não seja apenas um cômodo para dormir, mas principalmente para se tornar o ambiente que ele mais goste na casa e que se identifique. Ao invés de um quarto inacessível e apertado, seja um espaço rico para a exploração e as descobertas dos filhos.

Mas afinal, o que um quarto montessoriano tem de diferente do quarto normal na prática?  Por incrível que pareça, são vários detalhes que fazem a diferença. Aqui vão alguns passos para montar um quarto montessoriano e selecionamos também algumas imagens para as mamães que tem interesse pelo método se inspirarem:

 

1. Cama

Diferente do quarto tradicional, o berço e as grades são substituídos por colchões no chão ou futons para não limitar o espaço exploratório da criança. Para os bebês, recomenda-se utilizar alguns travesseiros ou almofadas ao redor da cama para evitar quedas durante a noite.

 

2. Espelho

Ajuda a criança a se conhecer, compreender os limites do seu corpo e se sentir mais segura. É essencial que o espelho esteja bem preso na parede para a segurança da criança – se preferir opte pelo espelho acrílico ao invés do vidro. Para os bebês que estão aprendendo a engatinhar, o espelho deve ser instalado na horizontal, ao lado da cama. Quando o bebê já estiver andando, deve ficar na vertical.

 

 

3. Barra

Uma barra (ou um varão de cortina) deve ser fixada na parede para auxiliar o bebê a ficar de pé e andar.

 

 

4. Tapete

O tapete delimita o espaço para as atividades para as crianças maiores e proporciona experiência sensorial para os bebês – ao crescer a criança começa a compreender que o tapete é o local onde são espalhados os brinquedos e peças.

Uma opção bastante utilizada é o tatame emborrachado (aqueles vendidos em blocos grandes indicados para academias e estúdios de pilates) porque são atóxicos, laváveis e possuem uma espessura ótima para absorver os impactos. O revestimento vinílico também é uma boa opção por ser indicada para quartos, creches, salas de recreação e clínicas pediátricas, porém absorve menos aos impactos.

Alerta: não utilizem os tapetes de EVA populares coloridinhos com desenhos em formato de quebra-cabeça porque não são recomendados para o uso infantil (apesar de serem vendidos para esse fim) pois eles possuem partículas tóxicas na sua composição (o mal cheiro já acusa isso). Embora que no Brasil eles sejam muito vendidos, em alguns países europeus suspenderam as vendas pelo caráter nocivo comprovado do produto.

 

5. Estante de brinquedos

Os brinquedos devem ser dispostos em estantes baixas, cestos ou caixas acessíveis à criança para que possa encontrar seus brinquedos e objetos favoritos – ponto este que incentiva a autonomia infantil e o senso de organização dos pertences.

O sistema de rodízio dos brinquedos é essencial (trocar a cada 15 dias) para que a criança possa explorar cada objeto, desenvolver a concentração e não gerar monotonia.

  

 

6. Decoração

De preferência uma decoração minimalista. Pintado e decorado com cores suaves (sem exageros porque o quarto não é uma brinquedoteca) utilizando poucos móveis. Quadros e gravuras devem ser fixados altura do campo de visão do bebê.

Para o sucesso na criação de um quartinho montessoriano é necessário que o bebê tenha espaço de sobra para se movimentar e explorar o seu cantinho. Para isso, a segurança do seu filho merece uma atenção especial: as tomadas e as quinas dos móveis devem ser protegidas, nada de fios de eletricidade ou objetos pequenos/pontiagudos fáceis de serem engolidos. Todo cuidado é pouco!

Explore sua criatividade e monte um quarto lindo, lúdico e cheio de encantos.

Em resumo:

 

Deixe seu comentário

Your email address will not be published.